Clique para falar via WhatsApp

Clique para fale pelo Skype

Clique para falar com um corretor

Clique para acessar nosso Instagram

Clique para acessar nosso canal no Youtube

Não está com tempo de ler? Ouça este conteúdo.

As linhas de crédito concedidas pelas instituições financeiras são ótimas alternativas para garantir a realização dos desejos da grande parcela dos brasileiros que não têm dinheiro suficiente para esses objetivos. Uma das opções de crédito mais conhecidas é o financiamento imobiliário, que torna possível a compra da casa própria. Entretanto, também existe mais uma possibilidade relacionada à moradia: o financiamento de reforma. Neste post, vamos analisar como funciona essa modalidade de crédito. Acompanhe e saiba mais:

O que é o financiamento de reforma?

Essa linha específica de crédito é uma modalidade de financiamento destinada à pessoa física e está voltada exclusivamente para obras em imóveis residenciais. O dinheiro emprestado pode ser usado na reforma de ampliação ou de melhoria de um imóvel existente, ou mesmo para a conclusão de uma obra inacabada.

As regras do financiamento são semelhantes as do crédito destinado à construção e ele pode contemplar até 100% do custo total da obra. Os valores emprestados são condicionados à renda do tomador do empréstimo e também ao valor do imóvel, que será dado como garantia de pagamento.

Da mesma forma como ocorre no Sistema Financeiro da Habitação (SFH), que concede empréstimo para a aquisição de imóveis residenciais, o dinheiro emprestado para a reforma é proveniente do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE). Portanto, as regras dessa modalidade também permitem que as condições de pagamento sejam estendidas em até 35 anos, contados a partir da liberação dos recursos.

Quais são as vantagens?

Todos os custos da obra (com materiais, mão de obra, etc) podem ser cobertos com o dinheiro do financiamento. Isso significa que pouco ou nenhum recurso pessoal terá que ser aplicado na reforma, o que permite que outros investimentos no imóvel possam ser pensados. Por exemplo, o dinheiro próprio poderá ser usado na compra de móveis novos ou na decoração da residência.

Esse é um aspecto interessante. Afinal, se a destinação do imóvel reformado for para uso próprio, o mutuário poderá deixá-lo exatamente como deseja, obtendo o conforto completo que pretende. Por outro lado, como o dinheiro pode ser emprestado inclusive para quem já tem outro imóvel residencial na mesma cidade, o dinheiro do banco também poderá ser usado para melhorar ou para ampliar um imóvel que seja destinado à locação.

Ou seja, se for este o caso, é possível, ao mesmo tempo em que a reforma é feita com o financiamento, equipar e decorar o domicílio com os recursos próprios, valorizando ainda mais o aluguel.

Quais são as exigências?

Para se habilitar a tomar um empréstimo para reforma, o candidato pode ser possuidor de outro imóvel residencial, inclusive na mesma cidade onde está o que será reformado. Porém, esse imóvel não pode ser objeto de outro financiamento bancário.

O imóvel que passará pela reforma também precisa estar em nome da pessoa que deseja tomar o empréstimo e não pode ser vinculado a nenhum tipo de financiamento, mesmo que seja apenas como garantia de pagamento. Além disso, a documentação deve estar totalmente regularizada perante o poder público. Esses pré-requisitos são fundamentais, uma vez que o imóvel será dado como garantia do financiamento junto à instituição financeira.

Também é preciso que haja a aprovação do crédito do candidato. Afinal, como em qualquer caso em que há uma concessão de empréstimo, as instituições que financiam a reforma de imóveis buscam a segurança na operação. Por isso, elas vão analisar a capacidade de pagamento do candidato, sua idoneidade no mercado e as garantias que ele tem para oferecer.

Portanto, para que você consiga a aprovação do financiamento e o dinheiro para a reforma, é preciso que alguns fatores básicos sejam cumpridos. Primeiro, você deverá provar que honra as próprias dívidas, que não tem o nome negativo na praça e que tem capacidade para arcar com as prestações. Cabe observar que, para a comprovação da capacidade de pagamento da dívida, é aceita a renda do casal, se for o caso. Também é possível haver a composição de renda familiar, mas esse critério deve ser esclarecido junto à instituição financeira, uma vez que ele depende da política de cada banco.

Por fim, o imóvel deve estar completamente desimpedido e o projeto da obra desejada deve ser viável e compatível com o orçamento criado para ela. Ainda, o candidato ao empréstimo deve cumprir os demais requisitos que seguem:

  • Ele deve ser brasileiro nato ou naturalizado ou, se estrangeiro, detentor de visto permanente no país;
  • Deve ser maior de 18 anos ou maior de 16 anos emancipado;
  • Precisa comprovar capacidade civil, ou seja, que não tem nenhum impedimento legal para assumir a dívida.;
  • Precisa estar abaixo do limite de idade exigido para cobertura do seguro. Na maior parte dos bancos, a idade do proponente somada ao prazo de pagamento da dívida não pode ultrapassar 80 anos e 6 meses. Se a proposta figurar em nome de mais de uma pessoa, nesse critério conta a idade do proponente mais velho;
  • É preciso contratar uma apólice de seguro contra Danos Físicos do Imóvel (DFI) e outra por Morte e Invalidez Permanente (MIP), caso haja a liberação do crédito.

Quais são as etapas para aprovação do financiamento para a reforma?

O primeiro passo é procurar uma instituição financeira para fazer a simulação do financiamento. Em muitos bancos, ela pode ser feita, inclusive, pela internet. Nessa ocasião, também é oportuno buscar as informações relativas à comprovação de renda e outras particularidades que o banco apresenta, uma vez que elas podem variar de instituição para instituição.

Em seguida, devem ser reunidos os documentos pessoais (CPF, RG, comprovante de renda e de residência, certidões negativas, etc.) e a documentação do imóvel (registro e certidões negativas de ônus), que precisarão ser apresentadas ao banco. Ainda, há a necessidade de apresentar o projeto da reforma, com respectivos cronogramas e orçamentos, e, eventualmente, os outros documentos adicionais, caso sejam exigidos pela instituição.

O próximo passo é preencher o cadastro na instituição financeira, submetendo a documentação para a avaliação e aprovação do crédito.

Quanto tempo é necessário para que o dinheiro seja liberado?

Considerando que tudo esteja tudo em ordem com relação à apresentação dos documentos exigidos, normalmente a aprovação do crédito ocorre 30 dias após o início do processo. Uma vez aprovado o financiamento, o dinheiro começa a ser liberado.

Contudo, diferentemente do financiamento para a compra de imóveis, no empréstimo para reforma o dinheiro não é liberado integralmente, de uma única vez, ao mutuário. As liberações acontecem de acordo com o cronograma previsto para a obra e o dinheiro é creditado na medida da necessidade. Por isso, é essencial que seja desenvolvido um bom projeto, que preveja com precisão todas as etapas da reforma.

Ficou alguma dúvida ou deseja contar uma experiência própria e até dar a sua opinião sobre o financiamento de reformas de imóveis? Então deixe aqui o seu comentário. Teremos prazer em ajudar e também em saber o que você pensa sobre o assunto.


Rua Professor Augusto Ruschi, Nº 3233, Esquina com Av. Luciano das Neves, Praia de Itaparica, Vila Velha - ESCEP 29102-065
Rua Henrique Moscoso, Nº 717, Ed. Vila Velha Center, Praia da Costa, Vila Velha - ESCEP 29100-021