Clique para falar via WhatsApp

Clique para fale pelo Skype

Clique para falar com um corretor

Clique para acessar nosso Instagram

Clique para acessar nosso canal no Youtube

Não está com tempo de ler? Ouça este conteúdo.

Para quem, assim como a maioria das pessoas, não tem condições de comprar um imóvel à vista, o financiamento é mesmo uma das melhores alternativas para realizar o sonho de adquirir um bem próprio. Mas é importante saber que os procedimentos para financiar um imóvel envolvem uma série de trâmites burocráticos.

Conhecer cada etapa é fundamental para evitar atrasos e outros contratempos. Então, para que você se organize desde já, apresentaremos neste artigo as etapas e a documentação do financiamento imobiliário. Confira:

1. Simulação

São bem comuns os casos em que o comprador dá início à negociação e só depois descobre que não tem os recursos necessários. Por isso, a primeira etapa em um financiamento, embora não seja obrigatória, deve ser a simulação.

Na maioria das vezes, as simulações podem ser feitas nos próprios sites das instituições financeiras. E não é necessário o envio de documentos nessa etapa.

2. Proposta do financiamento

Após escolher o imóvel, de acordo com as suas preferências e possibilidades de pagamento, é hora de submeter a proposta do financiamento. Como o preenchimento da proposta é online, ainda não é preciso apresentar documentos, bastando informar dados básicos.

Normalmente, são exigidos nessa etapa os números dos documentos de identificação pessoal, como RG e CPF, e dados profissionais, como a renda mensal e a profissão, bem como informações essenciais sobre o imóvel e o valor pretendido.

3. Análise de crédito

Na análise de crédito começa a ser exigida a documentação do financiamento imobiliário. Será necessário confirmar as informações prestadas no preenchimento da proposta, com a apresentação dos documentos de identificação pessoal.

Isso inclui a certidão de casamento, se for o caso, e os comprovantes de renda e residência, Bem como as certidões negativas de débitos federais dos cônjuges.

E, se a intenção for de utilizar os recursos do FGTS, é preciso apresentar os extratos originais atualizados das contas vinculadas, emitidos em uma agência da Caixa e devidamente carimbados, datados e assinados.

4. Avaliação do imóvel e do vendedor

Com o sinal verde da instituição financeira, é o momento de avaliar a outra ponta da negociação. O vendedor (e seu cônjuge, se houver) deve apresentar documentos de identificação pessoal (RG, CPF e certidão de casamento) e a certidão conjunta de débitos relativos aos tributos federais.

Em relação ao imóvel, a matrícula é o documento mais importante, pois descreve todo o histórico de propriedade do bem, atestando que o vendedor está legalmente habilitado para fazer a negociação. É necessário também obter a certidão negativa de débito do imóvel junto à prefeitura, assim como a negativa do IPTU.

Seja qual for a etapa do financiamento, é preciso lembrar que as certidões têm um prazo de validade, que normalmente oscila entre trinta e noventa dias. Assim, se a negociação se arrastar por muito tempo, pode ser necessário reemitir alguns documentos durante o processo.

5. Vistoria técnica

Além de avaliar todos os aspectos jurídicos relacionados ao imóvel, a instituição financeira exigirá também a realização de uma vistoria para verificar as condições do local. Tal procedimento é feito por um engenheiro credenciado, mediante a comprovação do pagamento da taxa referente ao serviço.

Se tudo der certo, o vistoriador dará o aval para a negociação, atestando que o preço do imóvel é compatível com o valor de mercado e que o bem preenche as condições necessárias para ser objeto de financiamento.

6. Contrato

Uma vez aprovada a proposta, preenchidos todos os requisitos e providenciado o seguro habitacional obrigatório, será agendada uma data para a assinatura do contrato. No ato dessa assinatura, cada parte envolvida na negociação deve portar um documento oficial com foto, para identificação.

E é importante destacar que, no financiamento imobiliário, não é lavrada a escritura, já que o imóvel permanece vinculado à instituição financeira até a quitação total do valor financiado. Após o pagamento do ITBI, é feito então o registro do contrato no cartório.

Enfim, diante de tudo isso, fique atento e mantenha em ordem a documentação do financiamento imobiliário, para vencer cada etapa e conquistar seu imóvel com tranquilidade.

E agora, se gostou deste artigo, não deixe de assinar nossa newsletter e conferir, em primeira mão, todas as próximas dicas e informações que vão ajudar você a construir seu patrimônio!


Rua Professor Augusto Ruschi, Nº 3233, Esquina com Av. Luciano das Neves, Praia de Itaparica, Vila Velha - ESCEP 29102-065
Rua Henrique Moscoso, Nº 717, Ed. Vila Velha Center, Praia da Costa, Vila Velha - ESCEP 29100-021