Clique para falar via WhatsApp

Clique para fale pelo Skype

Clique para falar com um corretor

Clique para acessar nosso Instagram

Clique para acessar nosso canal no Youtube

Não está com tempo de ler? Ouça este conteúdo.

Somar esforços e engajar a todos na busca de uma só meta equivale a multiplicar as chances de atingir o resultado esperado. Com a compra de um imóvel é assim: se todos da casa colaboram, fica mais fácil realizar a aquisição. Por isso, o planejamento financeiro familiar mostra-se um poderoso alicerce para a concretização do sonho da casa própria.

Veja, abaixo, os passos essenciais para organizar as finanças da família!

1. Fazer um levantamento das despesas familiares

Para alcançar o objetivo de comprar um apartamento, é preciso saber com exatidão quanto a família gasta. Afinal, a partir daí torna-se viável reconhecer quais recursos estão disponíveis para o pagamento do bem.

Perceba que trata-se de levantar o total despendido pela família em determinado período, e não de averiguar o que cada um faz com os seus próprios ganhos.

2. Determinar o valor a ser guardado

Feitas as contas do total de gastos, vocês concluíram o quanto de responsabilidade financeira podem assumir conjuntamente. Agora é hora de decidirem o valor que vai ser poupado em prol da aquisição imobiliária.

É importante que, fixada essa quantia, fique acertada a parcela de contribuição de cada um e o destino do valor total. O melhor, nesse caso, é dar ao dinheiro uma aplicação segura, a exemplo da Caderneta de Poupança e do Tesouro Direto.

3. Renegociar dívidas

Ao reunir todos em torno do planejamento financeiro familiar, pode ser que apareçam dívidas antigas. Considerando-se que elas podem significar problema, principalmente se vocês pretendem recorrer a um financiamento imobiliário, o aconselhável é resolver tais pendências.

Procurar os credores e tentar negociar novos prazos é o indicado para contornar tal dificuldade. A boa notícia é que, desde o pagamento da primeira parcela de um acordo, o débito deixa de constar nas listas dos órgãos de proteção ao crédito.

4. Ter um controle dos gastos

Lá no primeiro passo, você e seus familiares descobriram o montante despendido mensalmente com o andamento do lar. Chegou a vez de promover um controle eficiente dessa despesa, a fim de que se mantenha dentro da previsão.

O ideal, então, é começar um registro detalhado das contas mensais, no qual todo dinheiro gasto seja anotado. Para marcar tudo com precisão, sem correr o risco de esquecimentos, adote uma planilha ou aplicativo que agilize os lançamentos das saídas.

5. Manter o controle financeiro

Os passos anteriores colocaram você e seus familiares no controle das finanças, o que é muito saudável. Esse domínio é crucial em qualquer tempo, sobretudo na época de programar a compra de um apartamento. Nesse sentido, é fundamental o engajamento dos membros da família ser constante.

Portanto, todos devem seguir motivados a prosseguir no comando da situação financeira: desde a decisão de ter o imóvel até depois de pegar as suas chaves nas mãos. Somente desse modo a conquista ocorre e é preservada, servindo de base a outros progressos.

Transparência, determinação e boas doses de realismo são indispensáveis ao planejamento financeiro familiar, que, como você conferiu no último passo, depende também de constância para ser eficaz e resultar na compra do novo apartamento. Vistos esses pontos, reúna logo o pessoal e comece a organizar as finanças!

E aí, gostou do artigo? Agora que você já sabe mais sobre planejamento financeiro familiar, siga nossas redes sociais: Facebook, Twitter, YouTube, Instagram, LinkedIn, Google+, e Flickr!


Rua Professor Augusto Ruschi, Nº 3233, Esquina com Av. Luciano das Neves, Praia de Itaparica, Vila Velha - ESCEP 29102-065
Rua Henrique Moscoso, Nº 717, Ed. Vila Velha Center, Praia da Costa, Vila Velha - ESCEP 29100-021