Clique para falar via WhatsApp

Clique para fale pelo Skype

Clique para falar com um corretor

Clique para acessar nosso Instagram

Clique para acessar nosso canal no Youtube

Não está com tempo de ler? Ouça este conteúdo.

A procura por residências em condomínios — sejam eles compostos por apartamentos ou casas — aumentou significativamente nos dias atuais por conta das comodidades fornecidas, tais como a segurança, a área de lazer e a tranquilidade oferecida às famílias.

Entretanto, algumas questões inerentes a esse tipo de moradia surgem em consequência e demandam a atenção devida do morador, como a cobrança da taxa do condomínio.

Se você já mora em condomínio ou está analisando essa questão, confira o nosso artigo e entenda como é feita a cobrança de condomínio.

Como é calculada a taxa de condomínio?

A taxa de condomínio nada mais é do que a soma de todas as despesas relativas ao local e rateada entre os condôminos — com exceção, claro, daquelas que já tenham sido individualizas por unidades, como ocorre, em alguns condomínios, com a taxa de água e gás.

Dentre as despesas que a compõem, os gastos com funcionários (salário, horas extras, recolhimento de impostos, rescisão, entre outros) e os gastos aplicados à manutenção do condomínio (elevadores, pintura e jardinagem, por exemplo) são os que mais se destacam.

Também existem os gastos administrativos, que são aqueles que envolvem taxas bancárias ou o valor para a emissão de boletos, os gastos não planejados, necessários a partir do surgimento de algum imprevisto, e, em alguns condomínios que não possuem medidor individual nas unidades, a cobrança de água e gás é necessariamente somada e rateada igualmente entre todos os condôminos.

Qual é melhor: cobrança de condomínio por rateio ou taxa fixa?

A cobrança de condomínio mais utilizada é a denominada cobrança por rateio, pela qual os valores mensais despendidos na manutenção do local são somados e divididos entre todos os condôminos, independentemente do tamanho do imóvel de cada um, cuja cobrança ocorre no mês seguinte.

Já a taxa fixa, como diz o próprio nome, é calculada a partir de uma média de gastos para o ano. Nela, todas as despesas do condomínio são somadas e, a partir do valor encontrado, é feita uma projeção para 12 meses, incluído o ajuste a partir de índices de inflação.

Assim, tal montante é rateado entre a quantidade de condôminos, e há a necessidade de aprovação em assembleia. Ressalte-se, ainda, que as despesas extraordinárias, referentes à obras urgentes, por exemplo, podem ou não estar previstas na quantia estipulada. Em caso negativo, a taxa de condomínio cobrada fixamente sofrerá aumento em determinados meses.

Quem é o responsável por realizar a cobrança?

O síndico é a pessoa responsável por administrar o condomínio e, dentro dessa administração, se encontra a cobrança da taxa condominial. Em empreendimentos pequenos, geralmente é o próprio síndico quem centraliza a administração.

Entretanto, tomar a responsabilidade do cuidado de um condomínio para si é tarefa complexa e, por isso, uma administradora especializada nesse tipo de gestão pode ser contratada.

Desse modo, por meio de contrato detalhado e formalizado, a realização da cobrança de condomínio — dentre outros encargos — será feita pela administradora. A composição das taxas condominiais ocorrerá da mesma maneira, apenas substituindo-se a responsabilidade pela realização da cobrança mensal.

Por isso, entender como é feita a cobrança de condomínio é medida importante para condôminos (ou futuros condôminos), justamente para possibilitar maior compreensão da destinação do dinheiro mensal gasto pela família. Fique atento e usufrua das comodidades oferecidas pelo seu condomínio!

Entendeu como são definidos os valores? Siga-nos nas redes sociais e saiba mais! Estamos no Facebook, Instagram, Twitter e no LinkedIn!


Rua Professor Augusto Ruschi, Nº 3233, Esquina com Av. Luciano das Neves, Praia de Itaparica, Vila Velha - ESCEP 29102-065
Rua Henrique Moscoso, Nº 717, Ed. Vila Velha Center, Praia da Costa, Vila Velha - ESCEP 29100-021