Clique para falar via WhatsApp

Clique para fale pelo Skype

Clique para falar com um corretor

Clique para acessar nosso Instagram

Clique para acessar nosso canal no Youtube

Não está com tempo de ler? Ouça este conteúdo.

A amortização de parcelas é um assunto muito importante em compras em geral, mas principalmente nos casos de financiamento imobiliário. Quem pega dinheiro emprestado para adquirir uma casa ou um apartamento assume o compromisso de pagar o valor principal mais os juros em um determinado período de tempo, previamente acordado.

Quando vai fazer o contrato de financiamento, geralmente o comprador tem a possibilidade de escolher como será feito o pagamento das prestações. Acompanhe o post e conheça as maneiras de quitar uma dívida de financiamento imobiliário.

O que é a amortização de parcelas?

A amortização de parcelas, na verdade, trata-se da diminuição de um valor a ser pago, como o financiamento da casa própria. Além disso, a amortização de parcelas é um tema estudado na chamada matemática financeira. Basicamente, a amortização envolve duas variáveis principais – a dívida total ou o valor emprestado e a taxa de juros acordada. Na análise da amortização, além dessas duas componentes, também são importantes o tempo do financiamento e os valores das parcelas.

Sistema de Amortização Constante (SAC)

Existem diferentes formas de se amortizar dívidas. Uma delas é o Sistema de Amortização Constante (SAC). Como o próprio nome diz, nesse caso a quantia a ser diminuída do total do financiamento é fixa em todos os meses. Já os juros pagos sobre a dívida caem de forma gradual, no decorrer do tempo. Consequentemente, a amortização de parcelas via SAC é caracterizada por prestações decrescentes, ou seja, que diminuem mês a mês.

Para você ter uma ideia mais clara de como esse sistema funciona, tenha em mente que a prestação é formada por duas partes, uma fixa referente à dívida do empréstimo e outra variável correspondente aos juros. Por exemplo, uma amortização de R$ 500 mais juros de R$ 150 compõem uma parcela de R$ 650. Como no SAC os valores dos juros diminuem ao longo do tempo, as prestações caem de forma gradual. Nesse exemplo dado, é como se a cada mês você abatesse ou amortizasse R$ 500 do valor total do imóvel.

Sistema Francês ou Tabela Price

O Sistema Francês de Amortização ou Tabela Price é outro método utilizado pelas instituições financeiras nos cálculos das parcelas de financiamentos. Nesse sistema, o valor da prestação é igual durante todo o período de quitação do empréstimo. Lembra das duas partes que compõem o valor da parcela? Na Tabela Price, a parte da amortização da dívida aumenta a cada mês e a parte dos juros diminui.

Por exemplo, se num mês a amortização fosse de R$ 500 e os juros R$ 150, no mês seguinte a amortização poderia aumentar para R$ 510 e os juros cairiam para R$ 140. Os valores desses exemplos são meramente ilustrativos. O importante é você notar que a soma da amortização com os juros resultará numa parcela de mesmo valor em todos os meses do contrato.

Qual tipo de amortização é mais vantajoso?

A escolha do tipo de amortização de parcelas mais adequado depende muito da situação financeira de quem faz o empréstimo para comprar o imóvel próprio. De modo geral, no SAC as parcelas iniciais são mais altas, o que pode comprometer o orçamento, se a pessoa tem outras dívidas além do financiamento. Porém, ao final do contrato, o valor total pago pelo SAC tende a ser menor do que em outras formas de amortização. O Sistema de Amortização Constante também é indicado para quem pensa em quitar o financiamento antes do prazo, já que os juros descontados diminuem bastante o valor total da dívida.

Quem opta pela Tabela Price paga prestações iguais durante todo o contrato, mas no final do financiamento pode ter que pagar um valor a mais do que no SAC, devido aos juros do período. Porém, se o orçamento da família está apertado, a amortização pela Tabela Price pode ser útil, pois os valores das parcelas tendem a ser menores do que as iniciais do SAC.

Seja qual for o sistema escolhido, também há a possibilidade de se utilizar o saldo do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para abater o valor total do financiamento.

Você tem preferência por algum tipo de amortização de parcelas? Conte pra gente nos comentários.

 


Rua Professor Augusto Ruschi, Nº 3233, Esquina com Av. Luciano das Neves, Praia de Itaparica, Vila Velha - ESCEP 29102-065
Rua Henrique Moscoso, Nº 717, Ed. Vila Velha Center, Praia da Costa, Vila Velha - ESCEP 29100-021