Clique para falar via WhatsApp

Clique para fale pelo Skype

Clique para falar com um corretor

Clique para acessar nosso Instagram

Clique para acessar nosso canal no Youtube

Não está com tempo de ler? Ouça este conteúdo.

Desde o último mês de maio, o limite de financiamento da Caixa Econômica Federal para a compra de imóveis usados, antes fixado em 80%, foi reduzido para no máximo 50% do valor do imóvel, já para os imóveis novos, que era de 90%, já havia sido reduzido para 80%. Essas mudanças deixaram algumas dúvidas na cabeça de quem está em busca de um financiamento para comprar o tão sonhado apê — e até para quem já está no meio do processo.

Veja o que mudou no financiamento da Caixa e fique preparado!

Sistemas afetados

A mudança diz respeito aos imóveis financiados pelo Sistema Financeiro de Habitação (SFH) com recursos do Sistema Financeiro de Poupança e Empréstimo (SBPE), que é aquele que regula a Caderneta de Poupança. Esses sistemas correspondem a 27% de todo o volume dos financiamentos liberados pela Caixa só neste ano. Os demais não sofrem alteração, inclusive aqueles que regulam a utilização do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e o programa Minha Casa Minha Vida.

Quem perde e quem ganha

À primeira vista, a medida pode parecer prejudicial para o mercado imobiliário em geral. Mas pelo ponto de vista do comprador que já tem 50% do valor do imóvel em mãos, no final das contas o resultado pode ser positivo se ele souber negociar. Ao mesmo tempo, com a possibilidade de financiar até 80% de um imóvel novo, esse mercado também está sendo beneficiado.

Valor da entrada

Naturalmente, como será liberado menos dinheiro para o financiamento do apartamento, a entrada fica maior. Por exemplo, para a compra de um imóvel que tenha valor de R$ 500 mil e que não utilize recursos do FGTS ou que não esteja no Minha Casa Minha Vida, o comprador terá que desembolsar pelo menos R$ 250 mil à vista como sinal do negócio.

Vantagem para quem tem os 50%

Se você conseguiu economizar metade do valor do imóvel que deseja comprar, isso significa que a sua condição de compra pode ser muito valorizada na negociação, já que não é todo mundo que está com dinheiro disponível para dar a metade do valor à vista. Portanto, não tenha dúvidas: pechinche!

Dificuldades para outros

Por outro lado, as pessoas que não têm essa condição de compra ou aquelas que adquiriram imóveis na planta, contando com o financiamento da Caixa para depois da entrega, terão maior dificuldade de adquirir o imóvel. No segundo caso, isso acontece porque após a entrega das chaves os imóveis não serão mais vistos como novos pela Caixa.

Redução de preços

Uma vez que há uma menor oferta de crédito, o que dificultará a compra para uma parcela da população, isso também significa que os valores dos imóveis usados tendem a baixar.

E quem já tem um financiamento contratado?

Nada muda nas regras dos financiamentos que foram contratados antes da medida.

Alternativas

Para quem realmente precisa comprar um imóvel agora e não tem os 50% do valor para dar de entrada, a primeira alternativa é buscar um imóvel novo que esteja pronto, uma vez que ele poderá ter um financiamento de até 80%. Outra possibilidade é buscar financiamentos em outros bancos para a compra de um usado. Bancos privados podem oferecer limites maiores, mas é preciso ficar atento para os juros, que possivelmente também serão maiores.

Para quem precisa vender um apê, certamente a alternativa é se tornar mais flexível nas negociações e ouvir com atenção a proposta de quem está com o dinheiro para dar o sinal de 50%.

Ainda tem dúvidas sobre as novas regras da Caixa para o financiamento imobiliário? Deixe aqui o seu comentário!


Rua Professor Augusto Ruschi, Nº 3233, Esquina com Av. Luciano das Neves, Praia de Itaparica, Vila Velha - ESCEP 29102-065
Rua Henrique Moscoso, Nº 717, Ed. Vila Velha Center, Praia da Costa, Vila Velha - ESCEP 29100-021