Clique para falar via WhatsApp

Clique para fale pelo Skype

Clique para falar com um corretor

Clique para acessar nosso Instagram

Clique para acessar nosso canal no Youtube

Não está com tempo de ler? Ouça este conteúdo.

Construir, reparar ou decorar dá trabalho, disso não há dúvida. São muitos operários entrando e saindo, gastos com produtos e bastante poeira. Contudo, a sensação que temos ao ver a casa dos nossos sonhos tornando-se real não tem preço. Por isso, é tão importante montar um cronograma de obra para acompanhar o passo a passo do que está sendo feito.

Por meio dele, você consegue fazer um melhor planejamento do serviço e das suas despesas, evitando, assim, uma série de problemas que podem envolver a equipe ou a estrutura do imóvel, o desperdício de materiais ou os tão recorrentes atrasos nas entregas das etapas.

Para te ajudar a elaborar o seu cronograma, reunimos algumas dicas importantes de como acompanhar o andamento da obra com eficácia e garantir que seu lar fique como você espera. Confira!

Defina as atividades do seu cronograma de obra

Um cronograma de obra facilita a as tarefas de estipular prazos e garantir um melhor aproveitamento de recursos e da mão de obra. Por isso, esse registro deve funcionar, de maneira simplificada, como uma planilha, na qual você descreverá o acompanhamento certeiro dos serviços, de maneira linear, em cada etapa.

É fundamental que você liste todas as atividades que podem ser necessárias durante todo o período de construção do seu lar, como serviços preliminares, fundações e estrutura, alvenaria, pintura, revestimento, esquadrias, pavimentação, instalações, cobertura, etc.

Ou seja, você construirá uma Estrutura Analítica do Projeto (EAP), que nada mais é do que a listagem que estamos propondo a você. Lembre-se de que aqui não é preciso sequenciar o que virá antes ou depois, mas sim incluir o máximo possível de informações a fim de deixá-la o mais completa possível.

Outro ponto importante é que você pode manter o seu cronograma de acompanhamento especificamente para o serviço, materiais e afins, ou montar um cronograma físico-financeiro em que você também incluirá as despesas semanais ou mensais para organizar o caixa, controlar imprevistos e manter as finanças em dia.

Faça a sequência detalhada de cada atividade

Agora que você já listou tudo que será necessário na sua obra, é importante detalhar cada ponto de acordo com a ordem cronológica da execução do trabalho e tabelar os custos previstos, caso você tenha optado pela inclusão financeira na planilha. Abaixo damos alguns exemplos para um imóvel já existente que está sendo reformado:

  • Revestimentos: aqui você definirá qual será o acabamento das paredes (madeira, massa texturizada, papel de parede, pastilhas ou pedras) e dos pisos (porcelanato, cerâmica, ladrilho hidráulico, vinílico, piso de madeira, piso cimentício, etc), as especificações sobre o tempo de aplicação e os custos com o material.
  • Pintura: a quantidade de galões de tinta usados em cada ambiente e seus respectivos valores, assim como a cartela de cores aplicadas e a ordem dos cômodos, serão tabeladas nessa etapa.
  • Esquadria: essa é uma das fases mais relevantes da obra, pois figura entre as mais custosas em um projeto. Isso porque ela inclui portas, janelas, portões, venezianas e demais aberturas do tipo em uma residência. Além da quantidade preestabelecida de itens, é importante definir a natureza da abertura: basculante, de correr, guilhotina, maxim-ar, etc.
  • Pavimentação: incluir a execução da pavimentação da obra, o período de entrega e os custos envolvendo os projetos interno e externo.
  • Instalações: incluir os prazos específicos para essa etapa, visto que ela ocorre em diferentes momentos do projeto e podem ser realizadas simultaneamente, como as instalações elétrica, telefônica, sanitária, hidráulica, etc.
  • Cobertura: nessa última fase, você deve detalhar o tipo de cobertura que estará presente no imóvel (telhado de concreto, embutido, aparente em L, três águas, quatro águas, sobreposto, etc) e se ele terá laje para a caixa d’água ou futura obra de expansão do lar. Esses são itens que podem influenciar drasticamente as finanças e os prazos de entrega.

Estime a duração da obra

A duração da obra é um dos itens que mais causam preocupação. Afinal, atrasos impactam negativamente nos gastos com mão de obra, tornando o serviço mais caro do que o projetado. Justamente por isso, esse  é um aspecto fundamental para o seu cronograma e as atividades que você já definiu nas etapas anteriores.

Nessa fase, você elaborará uma linha do tempo na qual “marcará” o começo e o fim que deseja para a construção. Porém, para chegar a uma previsão de data de término, é preciso conversar com toda a equipe envolvida e, juntos, decidirem os prazos. Também é possível usar obras similares à sua para servir como referência quanto à duração ideal.

Uma vez chegado ao período delineado, você terá mais controle sobre a compra de produtos e demais itens, evitando estoques desnecessários em canteiros e afins, além de garantir que os atrasos sejam contidos.

Fiscalize o andamento do serviço

Nessa última etapa, você fará o acompanhamento mais de perto para checar se o que você está tabelando com prazos de entrega está sendo cumprido. Contudo, é claro que imprevistos podem acontecer e uma das atividades pode atrasar ou precisar de mais materiais, por exemplo.

Com o cronograma de obra em mãos, a ideia é minimizar a falta de eficiência profissional, o desperdício, problemas com a entrega do projeto e, claro, garantir a sua satisfação pessoal.

Como você percebeu ao longo deste texto, a criação de um cronograma de obra permite não apenas um detalhamento e uma análise mais aprofundada do seu projeto, mas também o sequenciamento de atividades a serem realizadas e como definir os prazos com os profissionais que nela trabalham.

No caso do cronograma financeiro, ainda é possível controlar o fluxo de caixa, o que permite que você consiga administrar suas despesas com muito mais fluidez, controlar a compra de materiais e insumos e concentrar seu foco em evitar os atrasos na obra.

Se você tiver alguma dificuldade para elaborar esse cronograma, ou se, mesmo com ele em mãos, achar que o gerenciamento do projeto do seu lar precisa de um impulso a mais para tornar o sonho da sua casa própria realidade, contar com mais ajuda pode ser a solução. Por isso, leia também nosso post sobre quando contratar um arquiteto!


Rua Professor Augusto Ruschi, Nº 3233, Esquina com Av. Luciano das Neves, Praia de Itaparica, Vila Velha - ESCEP 29102-065
Rua Henrique Moscoso, Nº 717, Ed. Vila Velha Center, Praia da Costa, Vila Velha - ESCEP 29100-021