Clique para falar via WhatsApp

Clique para fale pelo Skype

Clique para falar com um corretor

Clique para acessar nosso Instagram

Clique para acessar nosso canal no Youtube

Não está com tempo de ler? Ouça este conteúdo.

Com a valorização dos imóveis, alternativas para realizar o sonho da casa própria ganharam destaque. Hoje em dia, para comprar um imóvel, não é mais preciso ter todo o dinheiro em mãos. Existem diversas opções de aquisição que podem ser muito mais interessantes e vantajosas, até mesmo para quem pode comprar à vista. É o caso do consórcio de imóveis que, segundo a Associação Brasileira de Administradoras de Consórcio (ABAC), já representa 15% das vendas no Brasil.

Neste Guia Prático sobre Consórcio, ajudamos você a entender e descobrir se essa é a modalidade perfeita para você!

O que é:

Consórcio imobiliário é uma maneira de comprar imóveis. É formado por um grupo de pessoas, que podem ser físicas ou jurídicas, que se juntam para financiar umas às outras, com o pagamento mensal de valores previamente combinados entre os membros.

É indicado, principalmente, para quem não tem urgência em adquirir a casa própria.

Como funciona:

Uma vez por mês, todos os participantes do grupo, que pagam a mensalidade do consórcio, reúnem-se em uma assembleia, onde são realizados sorteios de cartas de crédito, uma espécie de vale-compra que habilita o comprador da vez.

É possível dar lances nessas reuniões e ter acesso às cartas de crédito, disponíveis para quem fizer a melhor oferta.

Há administradoras que fazem sorteio pela loteria federal, outras com métodos próprios.

Quando você receber a carta de crédito, o valor será pago diretamente ao vendedor do imóvel escolhido.

Caso não queira usar a carta de crédito imediatamente, basta continuar pagando as parcelas e a sua cota (valor disponível) ficará reservada para quando quiser utilizá-la junto à administradora.

Principais Vantagens:

Taxas mais baratas do que os juros praticados pelos financiamentos;

Menos burocracia;

Poder de negociação do pagamento à vista;

Permite o uso do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço), seja para acrescentar ao valor da carta de crédito e adquirir um imóvel de valor maior; para quitar as parcelas pendentes; ou usar em lances nas assembleias mensais e tentar ser a maior oferta para ganhar a carta de crédito antes, sem depender do sorteio.

Pontos de Atenção:

• Prazo de conclusão do grupo, alguns levam mais de 10 anos para contemplar todos os participantes;

• Opções de aquisição da carta de crédito, que pode ser através de sorteio (acontece uma vez por mês na assembleia entre o seu grupo), leilão (é a opção de dar lances e a melhor oferta do dia leva a carta de crédito. Pode ser feito entre os membros do grupo, também na assembleia mensal) ou encerramento do grupo (quando o grupo do consórcio chega ao mês final definido). Por exemplo, você aderiu a um consórcio imobiliário de 6 anos. Passaram-se todos os 72 meses e você não foi nem sorteado e nem conseguiu garantir a carta de crédito em leilão. Então, quando chega o 72º mês você ganha automaticamente a carta de crédito;

• Os critérios para participar dos sorteios e para oferecimento de lances devem estar previstos no seu contrato. Também as regras de desempate;

• Idoneidade da administradora, principalmente se ela é uma empresa certificada pelo Banco Central e se não tem reclamações em órgãos de defesa do consumidor;

• Verificar quais são as garantias que a empresa oferece para quem se associa. Como ainda não existe o apartamento, e por isso não terá a chave do imóvel em mãos, garantia mais tradicional, veja quais alternativas a administradora oferece, como reembolso total em caso de problemas e inadimplência no grupo, contratos e documentações extras são alguns exemplos de garantia;

• Custos administrativos, valores pago pelo serviço e outras questões além da mensalidade. Quando você entra em um grupo de consórcio, a administradora poderá cobrar, além da primeira mensalidade ou prestação, a antecipação de custos relativos à taxa de administração. Mas tudo isto deve estar previsto no contrato de adesão;

• Segundo regras do Banco Central, os juros moratórios estão limitados a 1% ao mês, e as multas, limitadas a 2% do valor da prestação em atraso, e precisam estar previstas contratualmente.

Problemas mais comuns

• Não basta selecionar a melhor administradora, ela tem que escolher você também. Seu perfil será analisado como em qualquer outra operação de crédito;

• Papo de vendedor. Em um consórcio, ninguém tem como prometer ou garantir quando você será contemplado com a carta de crédito. Se usarem isso como argumento de venda, não entre nessa;

• Assinar o contrato sem ler. Muita coisa está em jogo, leve a sério esse documento;

• As contemplações dependem da existência de recursos em seu grupo, portanto, se o número de inadimplentes de seu grupo for muito alto é possível que algum mês não tenha sorteio para carta de crédito;

• Casos de desistência. Algumas empresas só devolvem o dinheiro no encerramento do grupo ou caso a pessoa seja sorteada. Porém, ainda há polêmica sobre o tema, já que órgãos de defesa do consumidor defendem que o participante tem o direito de receber o dinheiro imediatamente.

Dicas para ingressar em um consórcio:

• Poupe pelo menos 25% do valor do imóvel para dar o lance e tentar a carta de crédito com mais agilidade;

• Não faça contratos verbais, formalize tudo;

• Entenda como funcionam os lances e as regras do sorteio;

• Participe das assembleias e esteja sempre informado sobre o grupo.


Rua Professor Augusto Ruschi, Nº 3233, Esquina com Av. Luciano das Neves, Praia de Itaparica, Vila Velha - ESCEP 29102-065
Rua Henrique Moscoso, Nº 717, Ed. Vila Velha Center, Praia da Costa, Vila Velha - ESCEP 29100-021