Clique para falar via WhatsApp

Clique para fale pelo Skype

Clique para falar com um corretor

Clique para acessar nosso Instagram

Clique para acessar nosso canal no Youtube

Não está com tempo de ler? Ouça este conteúdo.

Construir com sustentabilidade é uma iniciativa recente. Segundo o gerente de marketing e vendas da Marques Construtora, Vitor Marques, os primeiros sinais da aplicação prática desse conceito na construção civil começaram nos anos 90. Na entrevista para o Notícias GI, explicou que acredita ter sido uma necessidade de competitividade de mercado. Veja.

GI – Quando o conceito de sustentabilidade começou a ser empregado na construção aqui no Brasil?

Vitor Marques: Acredito que os primeiros sinais de sustentabilidade na construção civil vieram no início dos anos 90 por uma necessidade de competitividade de mercado. Neste momento as construtoras passaram a aprimorar os detalhes de projetos passando a reduzir o desperdício com o objetivo de obter menores custos. Essa necessidade mercadológica fez com que as construtoras otimizassem melhor os seus processos de construção.

GI – Como e onde esse conceito pode ser empregado na construção civil, principalmente nas moradias?

Vitor Marques: Esse conceito é principalmente aplicado no processo construtivo, reduzindo impactos sociais e ambienteis. Além disso, hoje ainda há uma preocupação grande com a geração de economias e redução de impactos no produto já finalizado.

GI – Qualquer terreno permite uma construção sustentável?

Vitor Marques: Não, existem leis ambientais que regulam quais são os terrenos que permitem uma construção com pouco impacto ambiental.

GI – Impacta no custo total da obra? Quanto? De que forma?

Vitor Marques: A sustentabilidade no processo construtivo tem como objetivo também reduzir custos. Dirigidas ao produto pronto, apesar das características sustentáveis serem mais caras elas visam uma redução de custos de condomínio.

GI – Placas solares e tijolo ecológico custam caro?

Vitor Marques: As placas solares têm um valor alto sim, mas proporcionam benefícios que compensam o seu investimento. Não tenho informação sobre o tijolo ecológico.

GI – Quanto uma casa sustentável economiza no dia a dia?

Vitor Marques: Depende dos itens de sustentabilidade. Nos nossos apartamentos que são entregues com medidores individuais de água e gás, a economia chega a ser de até 30% no consumo desses recursos.

GI – Realmente as construções sustentáveis ajudam a preservar o Planeta? Em quanto?

Vitor Marques: Sim, com certeza. Basta medir a redução dos impactos.

GI – Como a Marques Construtora aplica esse conceito nos seus empreendimentos?

Vitor Marques: A Marques aplica esse conceito tanto nos seus empreendimentos como no dia a dia do seu escritório. As nossas obras têm processos construtivos que reduzem expressivamente os impactos, pois proporcionam um baixo índice de desperdício de materiais e de recursos naturais. Além disso, nossos empreendimentos são entregues com diferenciais que fazem com que o condomínio também tenha características sustentáveis. Esses diferenciais promovem uma redução do consumo de água, assim como o seu reaproveitamento, um maior aproveitamento de iluminação natural, redução do desperdício de energia elétrica, incentivo à coleta seletiva, entre outros.

GI – O que a construtora propõe como diferencial?

Vitor Marques: Aproveitamento da iluminação solar nas áreas internas comuns; Venezianas de enrolar – maior aproveitamento da iluminação solar nos apartamentos; Piso elevado – sistema construtivo do piso do térreo que não utiliza impermeabilização convencional, por isso não utiliza manta asfáltica, não queimando petróleo e não fazendo testes de impermeabilidade com grandes quantidades de água. Esse sistema também facilita para o condomínio em casos de eventuais manutenções; Previsão para energia solar; Sensores de presença para iluminação dos halls e escadarias; Reaproveitamento da água da chuva; Coleta seletiva; Medidores individuais de água e gás; Torneiras com temporizador; Madeira certificada.

GI – Cite construções sustentáveis da Marques.

Vitor Marques: Todos os nossos produtos construídos de quatro anos para hoje possuem todas essas características citadas acima. Os mais antigos possuem uma grande parte, principalmente no processo construtivo.

GI – Como o consumidor deve se comportar daqui para frente quando pensar em comprar uma casa na planta?

Vitor Marques: O consumidor deve prestar bastante atenção ao produto que ele está comprando: suas características, tamanho dos espaços, número de vagas, localização e principalmente o histórico da construtora. Além disso, é importante entender a sua própria capacidade de pagamento e de comprovação de renda, pois a grande maioria dos consumidores depende de financiamento imobiliário para adquirir um imóvel e essa análise só será feita pelo banco dois meses antes da entrega das chaves.


Rua Professor Augusto Ruschi, Nº 3233, Esquina com Av. Luciano das Neves, Praia de Itaparica, Vila Velha - ESCEP 29102-065
Rua Henrique Moscoso, Nº 717, Ed. Vila Velha Center, Praia da Costa, Vila Velha - ESCEP 29100-021